Ingressar no mercado de trabalho não é uma tarefa simples. É necessário estratégia, comprometimento, dedicação e atenção em alguns pontos. Pensando no grande desafio de vários profissionais, reunimos nessa postagem algumas diretrizes que poderão ajudar nessa colocação. Além disso, ao final dessa postagem, você será convidado a participar de um projeto de análise de perfil profissional.

Continue a leitura conosco e reflita sobre a competitividade do seu perfil profissional.

Formação

Uma graduação não é pré-requisito. Porém, ela pode ajudar a ingressar em uma empresa sem indicações. Isso porque muitos departamentos de recursos humanos utilizam essa questão como régua de corte. Por isso, pense que apesar de uma faculdade não entregar todos os conhecimentos necessários para você se tornar um profissional realmente completo, ela pode ajudar você a passar pela primeira fase de triagem de currículos.

Foco

Um profissional desfocado, sem dúvidas, não brilha os olhos de recrutadores e muito menos de gestores. Além disso, o desfoque atrapalha o candidato a encontrar oportunidades realmente alinhadas com seus objetivos e o faz aceitar propostas que não vão levá-lo aos seus careers goals.

Por isso, antes de começar a elaborar um novo currículo e disparar o documento para a caixa de entrada dos recrutadores, reflita sobre qual seu foco. Se conseguir responder onde quer estar profissionalmente nos próximos cinco anos, os primeiros passos já estão dados.

Relacionamento

Alguns profissionais costumam olhar torto para os candidatos que se beneficiam de contatos para ingressar no mercado de trabalho. No entanto, essa é uma atitude questionável. Isso porque a probabilidade de um recrutador acertar na escolha de um candidato que veio por indicação é maior do que o tiro no escuro de escolher um com apenas duas ou três entrevistas. E, pensando que o departamento de recursos humanos quer entregar os melhores candidatos para a empresa, todo esse processo faz sentido para quem está escolhendo.

Por isso, não crie uma resistência desnecessária e não repita com desdém “naquela empresa só entra por QI”. Sua atitude para ingressar no mercado de trabalho deve ser completamente inversa. Para isso, construa um networking firme. Vá a eventos relacionados com o seu foco, converse com outros profissionais, ofereça ajuda e mantenha contatos importantes próximos a você.

Idiomas

Muitos profissionais afirmam que cursos de idiomas não impulsionam os estudantes a se tornarem fluentes. Sem dúvidas existem casos assim. Para não cair nessa estatística, escolha um idioma estratégico para a área em que quer atuar e comece a estudar por conta própria. Organize uma agenda, defina quais seriam os melhores indicadores para analisar se o seu desempenho está adequado e coloque a mão na massa.

Experiências

Na maior parte das vezes, quando um profissional está buscando sua colocação no mercado, em seu currículo não há grandes experiências. No entanto, essa é uma parte que brilha os olhos de qualquer recrutador. Por isso, é importante buscar atividades extra curriculares e além do que uma graduação ou cursos livres propõem.

Alguns profissionais criam blogs e projetos pessoais para começarem a praticar o que aprendeu. Certamente é uma atitude que os recrutadores veem com bons olhos. Por isso, coloque a mão na massa em projetos paralelos e inclua-os em seu currículo.

Concorrência

Uma coisa que poucos profissionais fazem mas que é de tamanha importância é se comparar com profissionais que têm objetivos similares. É através dessa análise que você entenderá se está no caminho certo e quais são os gargalos dos seus concorrentes que você pode oferecer como um diferencial para as empresas.

Por isso, use ferramentas de benchmark profissional e entenda o que você precisa completar em seu perfil para se tornar um profissional que qualquer empresa quer.

Estudo constante

Alguns profissionais depois que adquirem seus diplomas pausam os estudos. No entanto, essa não é uma atitude adequada. Ainda mais em um mundo que está se transformando exponencialmente — você provavelmente acompanhou a transição dos rolos fotográficos de revelação para os celulares com câmeras incríveis.

Para estar competitivo nesse mercado, é preciso estar a frente. Ao contrário do que algumas pessoas dizem, você que quer ser um profissional de alta performance não pode se contentar em acompanhar o mercado, você precisa ajudar a montar o mercado. Na prática é: ao invés de entrar em um curso para aprender como fazer câmeras em celulares — conhecimento que várias outras centenas de pessoas já têm — descubra sozinho como inovar nessas câmeras de uma forma que ninguém ainda tenha pensado.

Sem dúvidas, para ingressar no mercado de trabalho é preciso estar pensando constantemente no seu índice de competitividade. É necessário estudar constantemente e estar a frente do mercado. Para isso, o time do Aprenda Play está movimentando uma pesquisa para analisar como os profissionais estão se mantendo competitivos. Inicialmente, o levantamento terá enfoque nos profissionais da área de marketing.

Se você tem interesse em conhecer a sua concorrência e receber uma análise sobre o seu perfil profissional, participe da nossa pesquisa abaixo. Depois de preencher, aguarde quinze dias, nosso time entrará em contato por email com um material exclusivo sobre o seu perfil profissional.

© 2018 Aprenda Play: Empresa responsável. Todos os direitos reservados.
Produzido por CriaTec